Português

Cineclube Midiadança promove exibições de modo virtual neste mês de junho

22 de junho de 2020

O Midiadança – Laboratório de Dança e Multimídia, projeto dos cursos de Dança do Instituto de Cultura e Arte (ICA) da Universidade Federal do Ceará (UFC) e apoiado pela Secretaria de Cultura Artística (Secult-Arte UFC), promove Cineclube Midiadança com apresentação de quatro vídeos de modo virtual, no período de 23 a 30 de junho. Com esta série, o Midiadança inaugura parceria com o portal MUD – Museu da Dança. Todas as sessões serão às 20h, o link da transmissão será disponibilizado através do site midiadanca.ufc.br.

São quatro vídeos apresentados e comentados inteiramente de modo virtual: dia 23, Corpo Concreto, projeto videocoreográfico de David Leão e Júnior Mendes; dia 25, os filmes 8 Variações e Equação, de Allan Diniz e Dayana Ferreira, que foram selecionados, em 2019, para o festival 4o F-O-R-M, Festival Of Recorded Movement, no Canadá; e dia 30, a estreia de Oxóssi – Orfeu, curta-metragem de Ariel Volkova e Indira Brígido.

Programação:

Dia 23/06: Corpo Concreto (David Leão e Júnior Mendes)

Foto dos Performers: João Pedro e Júnior Mendes, Corpo Concreto.Corpo Concreto é um projeto videocoreográfico que surge da relação investigativa entre dança, audiovisual e arquitetura urbana. A cidade de Fortaleza torna-se campo de experimentação e suporte de composição para uma dança que trata dos espaços do entre o corpo e o urbano. O que está em jogo é o concreto dos atravessamentos, dos movimentos de ir e vir, de passagem. Ficha Técnica: Direção Coreográfica: Júnior Mendes; Orientação: Paulo Caldas; Performers: João Pedro e Júnior Mendes; Direção de Vídeo: Júnior Mendes e David Leão; Assistente de direção: Suzana Figueira; Fotografia: David Leão e Rômulo Santos; Captação de Som Direto: Francisco Moura; Design de Som: Francisco Moura; Montagem: David Leão e Júnior Mendes; Finalização: David Leão.

Dia 25/06: 8 Variações e Equação (Allan Diniz e Dayana Ferreira)

Cartaz de divulgação de 8 variações 8 variações potencializa o movimento por meio do som, através de variações de ritmo, andamento e paisagens sonoras, propondo novas maneiras de encontrar dinâmica dentro da repetição. O empoderamento feminino é disparador conceitual para criação de gestualidades e imaginários destoantes dos padrões estabelecidos. Inspirado na coreografia de Anne Teresa de Keersmaeker, Rosas Danst Rosas, o trabalho experimenta as possibilidades da dança para o vídeo. O filme foi criado com jovens bailarinos durante oficina realizada pelo Laboratório de Dança e Multimídia da Universidade Federal do Ceará em parceria com a Escola Pública de Dança da Vila das Artes, em Fortaleza. Ficha Técnica: Direção: Allan Diniz e Dayana Ferreira; Intérpretes criadores: Alicy Ferreira, Ana Crisley, Ana Gabriela, Ana Karla, Ana Lara, Ana Luizy, Deylane Belchior, Gabrielly Vitória, Domitilia Isabely, Iane Elen, Kailany Gonçalves, Maitê Ximenes, Maria Eduarda Araújo, Maria Eduarda Gomes, Maria Gabrielle, Maria Luisa, Raíssa Nunes, Saulo Rodrigues, Stella Campelo.

Cartaz de divulgação do filme Equação.Equação retrata uma sociedade em que pessoas são programadas em laboratório e é inspirado no universo da ficção científica, evocando clássicos como Admirável Mundo Novo, de George Orwell. Apresenta-se como um videodança e experimenta a sutileza do corpo em movimento em conexão com a câmera, admitida em alguns momentos como uma quarta bailarina. Este vídeo foi criado com jovens bailarinos durante oficina realizada pelo Laboratório de Dança e Multimídia da Universidade Federal do Ceará em parceria com a Escola Pública de Dança da Vila das Artes, em Fortaleza.  Ficha Técnica: Direção: Allan Diniz e Dayana Ferreira; Intérpretes criadoras: Ana Beatriz, Brisa Vitoria, Julie Segundo e Leeh Santos.

 

 

Dia 30/06: Oxóssi – Orfeu (Ariel Volkova e Indira Brígido)

O curta-metragem Oxóssi-Orfeu é uma derivação do longa-metragem “Orpheus” (2018), realizado através de uma adaptação do “Ballet de la nuit”, uma releitura da mitologia greco-romana a partir dos arquétipos dos Orixás. A história trágica de amor entre Orfeu e Eurídice é dançada abrindo outros caminhos. Oxóssi – o caçador procura por sua amada Oxum que é seduzida por Oxumarê, a serpente, atacando-a com uma mordedura. Entre encruzilhadas, matas e as águas das cachoeiras acontece o balé dos Orixás. Ficha Técnica: Direção: Ariel Volkova e Indira Brígido; Intérpretes-criadores: Ariel Volkova, Carlota, Dayana Ferreira, Herbeline Holanda, Honório Félix, Janaína Bento, Júnior Meireles, Luisa Bessa, Nayana Castro, Souza Frota.

 

Mais informações: www.midiadanca.ufc.br

 

 

 

 

 

 

Marcadores: